Estratégias de comunicação no Terceiro Setor • bhbit | Soluções para o Terceiro Setor

Estratégias de comunicação no Terceiro Setor

Terceiro Setor

dez 01
blog para ongs e demais entidades do terceiro setor

Como estabelecer uma comunicação de maneira eficiente

Nos dias de hoje, as relações com clientes, doadores e investidores se tornaram, em sua maioria, superficiais e limitadas.

Estar atento às novas formas de se comunicar, aumentando não somente o alcance, mas também o nível de engajamento entre a mensagem que sua organização deseja transmitir e seu público alvo, é peça chave para o sucesso das organizações do terceiro setor.

white paper gestão financeira terceiro setor
INFORME

POR QUE O TERCEIRO SETOR PRECISA DE UMA SOLUÇÃO DE GESTÃO FINANCEIRA EXCLUSIVA

Download gratuito deste Informe.

Para aqueles que desejam alcançar uma estratégia de comunicação eficiente e bem sucedida, é fundamental poder contar com a opinião de seus próprios doadores.

E isso só se torna possível quando as instituições conseguem desenvolver uma conversa real com os mesmos, e não apenas enviar mensagens automáticas, que carecem de um toque humano e pessoal.

O cenário ideal é aquele em que existe uma via de mão dupla em termos de comunicação entre a entidade e os seus colaboradores, na qual ocorre uma interação entre ambas as partes permitindo que a instituição consiga receber feedbacks e opiniões sinceras de seus doadores.

Apesar de ser difícil alcançar esse elevado patamar de confiança e interatividade, algumas organizações sem fins lucrativos já provaram que esse feito é possível.

Um exemplo disso é a instituição Malaria No More que atualmente possui mais de 200 mil seguidores no Facebook e no Twitter, demonstrando que existe sim um público bem grande de pessoas que estão dispostas a se envolverem em causas sociais desde que a abordagem seja feita de forma correta.

Outro ótimo exemplo é o Greenpeace, que apesar de ser uma organização bem antiga, já provou que é capaz de se adaptar aos tempos modernos e de se manter atualizada e presente na vida dos jovens de hoje.

No mundo atual, estar presente nas redes sociais já se tornou uma questão incontestável e essencial para qualquer entidade.

Porém, mais importante do que simplesmente estar em cada uma das redes sociais é tentar seguir os seguintes conselhos de como abordar e interagir com os seus doadores através da internet.

1 – Procure conhecer melhor o seu público alvo

Essa é uma questão muitas vezes subestimada durante o processo de comunicação do Terceiro Setor com seu público.

Porém é de suma importância saber mais sobre as pessoas que se interessam por sua organização.

Não basta apenas ter uma ideia de quem elas são, é necessário conseguir informações mais exatas e precisas.

Para isso, a instituição pode realizar enquetes e pesquisas em suas redes sociais ou até mesmo solicitar uma pesquisa de mercado complexa, capaz de fornecer dados mais precisos sobre um determinado grupo de pessoas.

Nesse caso, qualquer informação é importante para que a entidade consiga elaborar mensagens mais específicas e de acordo com os interesses de seu público, principalmente quando o objetivo é receber respostas por parte dele.

Além de dados estatísticos, a organização deve estar atenta a outros sinais que possam identificar formas de gerar maior empatia com sua base de apoiadores, doadores e pessoas que se interessam por sua causa.

Conforme já discutido em nosso blog, técnicas de doações por empatia, podem não somente melhorar a captação de recursos da organização, mas também fornecer diversas informações importantes sobre seu público alvo. Possibilitando sucessos ainda maiores em futuras campanhas.

2 – Poste atualizações

Às vezes a instituição é bem sucedida em atrair novos doadores, mas acaba falhando na tentativa de mantê-los por perto.

Não existe uma fórmula precisa sobre como manter os doadores interessados e satisfeitos com a entidade.

Porém, ao mostrar detalhes sobre alguma campanha que esteja em andamento ou deixá-los informados sobre planos futuros da instituição, poderão representar boas alternativas para incentivá-los a permanecerem em contato.

Ao manter as redes sociais ou o blog do site da entidade atualizados, as chances de envolver os doadores no dia a dia da instituição e iniciar uma conversa em tom amigável e menos formal, se tornam bem mais elevadas.

Obviamente que qualquer novo canal de comunicação que a entidade buscar se comunicar, irá demandar planejamento.

Portanto, a organização precisa tomar alguns cuidados ao ingressar nas redes sociais.

3 – Solicite feedbacks

Após todas essas tentativas de aproximação com os doadores, também é necessário fornecer um meio para que eles possam dizer algo de volta para a instituição.

Para isso, basta criar pequenos formulários online ou possibilitar que sejam feitos comentários nas postagens da entidade nas redes sociais ou em seu site.

Desse modo, a instituição consolida de vez uma comunicação mais aberta e efetiva com o seu público.

Incentivar esse diálogo trará diversos benefícios a médio e longo prazo.

Questionamentos, críticas construtivas, sugestões, dúvidas e elogios provenientes de comentários públicos em publicações no site da organização ou em redes sociais, estabelecem um diálogo direto entre a organização e seu público mais engajado.

E se a organização se manter ativa, respondendo a todos os comentários e citações, de forma polida e estimulando ainda mais engajamento, será possível perceber um efeito cascata: mais pessoas se sentirão estimuladas a também deixarem seus comentários e opiniões, estando mais suscetíveis a um envolvimento cada vez maior com a organização.

14 Dias para avaliar o mais moderno software do 3º Setor

x