Desvende os benefícios da colaboração para o sucesso no terceiro setor

Como a colaboração pode alavancar o sucesso de instituições do terceiro setor

Terceiro Setor

set 06
colaboração no terceiro setor

Desvende os benefícios da colaboração para o sucesso no terceiro setor

A colaboração no terceiro setor funciona de formas muito diferentes e pode ser abordada de maneiras variadas.

No entanto, antes de falar sobre o que são e como funcionam as parcerias entre organizações, deve-se considerar a questão mais importante de todas:

white paper gestão financeira terceiro setor
INFORME

POR QUE O TERCEIRO SETOR PRECISA DE UMA SOLUÇÃO DE GESTÃO FINANCEIRA EXCLUSIVA

Download gratuito deste Informe.

Por que colaborar?

Todo mundo adora colaboração – na teoria.

Quer dizer, quem não acredita ser uma boa ideia duas ou mais entidades sem fins lucrativos trabalharem juntas para atingir objetivos em comum?

Mas deixe de lado essa ideia por um momento e sejamos honestos: a colaboração não é por si só uma boa iniciativa; ela começa a ser interessante quando serve a um propósito bem definido.

Além disso, colaboração não é sempre a melhor resposta para as dificuldades que sua organização pode estar enfrentando no momento.

Isso porque a instituição do terceiro setor tem diversas possibilidades de estratégias a escolher para fazer avançar sua missão, e a parceria com outras instituições é apenas uma delas.

Quando são levadas em consideração as estratégias que já são seguidas pela organização, pode ser útil também, pensar sobre certos tipos de parcerias para os tipos certos de metas. E assim obter-se bons resultados para todas as partes envolvidas.

Por isso, mesmo que a organização não esteja com problemas financeiros, sua diretoria e a administração devem estar atentas às oportunidades que podem melhorar sua eficiência e sustentabilidade. É inclusive melhor fazer isso antes que se chegue a um momento de crise.

Em termos práticos, a colaboração bem-sucedida pode ajudar as organizações do terceiro setor a:

• reduzir os custos através do compartilhamento da infraestrutura e das despesas administrativas;

• fortalecer os serviços ofertados;

• expandir a proposta de valor;

• melhorar a eficiência;

• combinar competências e habilidades complementares;

• aumentar a capacidade de liderança.

Não existe apenas uma forma de duas organizações trabalharem juntas

Veja a seguir alguns dos diferentes tipos de união que podem ser adotados por organizações do terceiro setor:

Colaborações

Embora já tenhamos usado o termo “colaboração” em sentido amplo para nos referirmos a organizações que concordam em trabalhar com um objetivo ou propósito comum, ele também pode se referir mais especificamente aos tipos mais comuns de trabalho em conjunto, que tendem a ter duração e grau de integração organizacional limitadas.

Algumas das metas que podem ser alcançadas através da colaboração incluem:

• agregar especializações ou recursos durante o tempo de trabalho compartilhado;

• amplificar uma mensagem relativa a uma causa ou um problema em comum entre as duas instituições;

• criar e compartilhar conhecimento através da aprendizagem colaborativa;

• aproveitar redes de organizações que tenham afinidades para abordar questões sociais que exijam ação contínua e coordenada.

Parcerias

Parcerias tendem a ser mais formais e ter duração maior do que as colaborações (embora não precisem ser permanentes), permitindo ainda um nível significativo de autonomia organizacional. Esse tipo de esforço conjunto pode ser útil para promover metas, tais como:

• Desenvolver maior eficiência organizacional através da consolidação dos serviços administrativos.

• Aproveitar os benefícios financeiros e de infraestrutura de uma organização através de um acordo de patrocínio fiscal, deixando a outra organização livre para focar na entrega do serviço.

• Gerar receita pela prestação de serviços administrativos ou pelo patrocínio fiscal a um parceiro cuja missão é alinhada à sua.

• Prestar serviços de forma mais eficaz e/ou a um público maior ou a uma área geográfica mais ampla através de programação conjunta.

• Compartilhar os benefícios (e riscos) da geração de receitas sociais através de um empreendimento de trabalho conjunto.

• Networking e compartilhamento de aprendizagem com grupos ou indivíduos que tenham interesses comuns, através da formação de um grupo de afinidade.

• Aproveitar os pontos fortes de cada organização através da criação de coalizões, consórcios ou associações que trabalhem com um objetivo em comum.

Reestruturação estratégica

A terceira categoria de trabalho em conjunto é a mais permanente e é feita de forma totalmente integrada, envolvendo mudanças estruturais para as entidades parceiras.

Essas parcerias podem servir aos seguintes tipos de objetivos:

• Combinar habilidades e conhecimentos específicos através de uma joint-venture (associações temporárias que se juntam para alcançar um objetivo específico).

Consolidar áreas administrativas e de programas, mantendo entidades separadas através de uma estrutura-mãe e de uma subsidiária.

• Melhorar a oferta de serviços, ampliando seu alcance, e/ou eliminar a redundância de atividades administrativas ou programáticas através de fusão ou aquisição.

Estratégias colaborativas podem produzir uma série de benefícios, mas também dar muito trabalho. Saber por que você pretende começar com uma parceria é fundamental, não só para guiá-lo nessa jornada, mas também para assegurar que o esforço é interessante para todos.

Quando considerar o trabalho em conjunto?

No fim das contas, sua missão deve orientar qualquer decisão sobre entrar em uma colaboração ou em uma parceria mais formal.

E, dentro desse contexto, é necessário avaliar se a colaboração é a estratégia certa a serguir. Mas, primeiro, reflita sobre o que você espera alcançar.

Se o seu objetivo for um ou mais dos itens a seguir, considere-se no caminho correto:

Vocês querem diminuir custos: as organizações economizam através de compras em conjunto, uso compartilhado de insumos, despesas compartilhadas para aluguel de instalações, criação de programa de fornecedores preferenciais consolidado e treinamento de pessoal conjunto.

Vocês querem oferecer programas contínuos: ao se juntar, ambas as organizações são capazes de fornecer cuidados contínuos àqueles que servem.

Vocês querem se divulgar de forma mais eficiente: além de trocarem indicações e divulgação para ambos os públicos, a soma dos valores investidos em marketing pode levar o nome das organizações mais longe.

Vocês querem expandir a proposta de valor: juntando dois propósitos que tenham afinidade, é possível expandir as ofertas de serviços, sem aumentar o orçamento.

Vocês querem aumentar as habilidades de liderança: as organizações estão melhorando suas habilidades na tendência atual do terceiro setor – a criação de alianças. Futuros líderes de organizações precisam saber como compartilhar informações, além de influenciar e persuadir quem não se reporta a eles.

Tendo claros os objetivos que o levam a pensar em uma parceria com outra instituição, você vai estar preparado para entender o tipo de acordo que pode ajudá-lo a chegar lá.
E o resultado da colaboração, no fim das contas, é que as organizações parceiras se tornam mais fortes, sobretudo em tempos de crise.

14 Dias para avaliar o mais moderno software do 3º Setor

x