O Terceiro Setor e as Redes Sociais • bhbit | Soluções para o Terceiro Setor

O Terceiro Setor e as Redes Sociais

Marketing

mar 03
Redes Sociais

Como distribuir conteúdo do terceiro setor em redes sociais

Quando falamos em estratégias de comunicação para o terceiro setor em redes sociais, é preciso ter em mente que a função primordial dos canais deve ser a de engajar pessoas em prol das entidades. As organizações sem fins lucrativos que investem algum tempo experimentando a distribuição de conteúdo em mídias online, como Facebook, Twitter, Tumblr, Linkedin, Google+, Instagram e outras, ficam mais próximas do objetivo de atingir jovens adultos, público que passa mais tempo por dia online, mais interage por meio dessas ferramentas e que está mais aberto ao engajamento social.

Ao adotar o marketing de conteúdo como uma frente de trabalho, as entidades do terceiro setor necessitam de entendimento sobre cada mídia, pois, além de saber selecionar e produzir a informação que será postada, também é preciso aprender a mensurar os resultados, atrair seguidores e impulsionar conteúdos relevantes.

white paper gestão financeira terceiro setor
INFORME

POR QUE O TERCEIRO SETOR PRECISA DE UMA SOLUÇÃO DE GESTÃO FINANCEIRA EXCLUSIVA

Download gratuito deste Informe.

Os gestores de redes sociais dentro das entidades do terceiro setor precisam se adaptar para acompanhar o avanço das novas tecnologias. Isso inclui também o domínio de algumas ferramentas importantes como aplicativos mobile, softwares de manipulação e tratamento de imagens e plataformas de blogs, como o WordPress.

É comum escutarmos que, na web, o conteúdo é rei. Essa afirmação é verdadeira, pois apenas as informações relevantes e que despertam o interesse do público são capazes de garantir o sucesso de uma entidade em suas campanhas de marketing digital. Por isso, planejar, pesquisar, produzir e postar são as atividades que devem fazer parte da rotina das organizações que se dispõem a trabalhar com a comunicação via social media.

Estratégias eficazes de comunicação em redes sociais

Cada rede social tem seu perfil e seu público específico. Por exemplo, não convém postar conteúdo de entretenimento no Linkedin, que é uma rede de networking profissional. O ideal para as entidades sociais que criam contas no Linkedin é trabalhar com posts mais sérios e conteúdos informativos que agreguem valor às discussões da rede.

Uma forma de atuar no Linkedin e atrair pessoas para o círculo de interatividade das entidades do terceiro setor é fazer recomendações profissionais. Quando a entidade publica uma recomendação positiva sobre alguém, ela fica mais propensa a receber recomendações igualmente positivas. Outra estratégia interessante é endossar as conexões para começar a construir relacionamentos mais fortes na rede social.

As entidades do terceiro setor que trabalham com causas que precisam da sensibilização popular, podem usar como estratégia a manutenção de um calendário de publicações no Facebook, Twitter e Google+ com o objetivo de conscientização. O conteúdo precisa ser informativo e, ao mesmo tempo, emocional, utilizando uma linguagem que seja capaz de tocar as pessoas. Para esse tipo de comunicação, as imagens são muito importantes. Postar o conteúdo sempre acompanhado de uma foto, logo ou símbolo da causa trabalhada é uma forma de tornar a mensagem mais viva e eficaz.

Uma forma de ampliar o número de fãs no Facebook é trabalhar com campanhas de anúncios. O Facebook Advertising é um serviço pago, mas bem acessível, pelo qual as entidades podem impulsionar suas publicações ou atrair mais likes, criando campanhas pagas e segmentadas de propaganda na rede social.

O uso das ferramentas de comunicação mobile, como os aplicativos de mensagens instantâneas, também é uma forma de criar grupos de pessoas interessadas em temas e causas parecidas. Essa mobilização é muito positiva, pois não exige gastos ou investimentos e costuma ser bem direcionada e rápida. Para usar esse tipo de estratégia, basta ter um smartphone da entidade e baixar aplicativos como o WhatsApp, por exemplo.

Outra tendência do momento é criar aplicativos específicos de angariação de fundos. Os apps desenvolvidos por empreendedores sociais são importantes porque acompanham o avanço no número de smartphones vendidos e habilitados no Brasil e no mundo.

Redes Sociais

Um trabalho profissional de comunicação

A distribuição de conteúdo nas mídias sociais exige uma disposição constante para atualizações. Uma rede social sem conteúdo novo pode, inclusive, prejudicar a imagem de uma instituição, pois demonstra falta de compromisso com seus próprios canais oficiais de comunicação.

É preciso estar sempre atento às mudanças, termos de uso e novas funcionalidades das redes sociais. Atualizar o próprio conhecimento sobre as novas mídias é uma forma de estar sempre um passo à frente. Existem ótimos cursos, e-books e vídeos tutoriais que ensinam as melhores práticas para uma comunicação qualificada na web.

Para as entidades que utilizam o Twitter, uma boa alternativa é trabalhar com campanhas de sensibilização para conquistar novos doadores. A escolha da frase ideal e de, no máximo, duas hashtags pode gerar uma mobilização social e diversos retweets, ampliando o alcance da instituição.

As entidades do terceiro setor também podem usar o Twitter para promover discussões com os usuários sobre seus programas e missões sociais. Nessa rede social, as mensagens precisam ser relevantes, objetivas, fáceis de ler e sem nenhum tipo de abreviatura.

Outra dica importante é que os tweets devem sempre apresentar links onde os seguidores possam encontrar mais conteúdo sobre a instituição ou artigos sobre temas interessantes.

Compromisso com a qualidade do conteúdo social

É essencial deixar claro que, quando uma entidade do terceiro setor inicia uma estratégia de comunicação com multicanais online, ela precisa estar disposta a manter uma presença na web 24 horas por dia, 7 dias por semana, respondendo aos comentários e mensagens dos usuários e estimulando a participação da sociedade nos canais. Ampliar as oportunidades de comunicação é uma forma eficiente de conquistar uma maior captação de recursos e ganhar mais relevância no cenário nacional.

O grande desafio das entidades do terceiro setor é aprender a usar adequadamente as redes sociais e criar estratégias para o reconhecimento da marca, atrair mais tráfego para sites, criar mecanismos de referência e conquistar novos doadores e voluntários. A chave do sucesso é oferecer aos seguidores conteúdos interessantes, úteis e realmente merecedores de compartilhamento.

Ainda são poucas as organizações sociais que conseguem criar conteúdo de qualidade para os canais digitais. Por isso, as entidades do terceiro setor que conseguirem encontrar e desenvolver boas práticas no universo online terão muitos benefícios.

14 Dias para avaliar o mais moderno software do 3º Setor

x