Landing Pages para ONGs: o que são e por que usá-las • bhbit | Soluções para o Terceiro Setor

Landing Pages para ONGs: o que são e por que usá-las

Tecnologia

jul 19
landing page para ongs

Landing Pages para ONGs: o que são, por que usá-las e o que devem oferecer ao visitante

Visualize a seguinte cena: uma pessoa interessada em causas sociais faz uma busca na internet porque quer encontrar instituições do terceiro setor que se identifiquem com as mesmas preocupações que ela tem. Essa pessoa pretende ajudar, mas não sabe exatamente como e para quem direcionará seus esforços.

Do outro lado, sua instituição tem um site e este até aparece nas primeiras páginas do Google com palavras-chave relevantes ao seu trabalho. Mas, quando o visitante entra no site, ele não sabe bem que rumo tomar para saber mais sobre seu trabalho ou como ele pode contribuir para a causa.

white paper gestão financeira terceiro setor
INFORME

6 MOTIVOS PARA DIZER ADEUS AO GERENCIAMENTO FINANCEIRO COM PLANILHAS

Download gratuito deste Informe.

Aí entra a funcionalidade básica das landing pages: direcionar seu visitante para a ação que este deve tomar sem distrações ou interrupções pelo caminho.

Para organizações sem fins lucrativos, as landing pages são ferramentas fantásticas de conversão porque são capazes de aumentar em muitas vezes o número de contatos por meio do site.

A seguir, explicamos melhor o que são e quais são as características fundamentais para que você tenha landing pages de sucesso no site da sua ONG.

O que são landing pages

Não existe ainda uma definição fixa para o termo, mas podemos dizer que landing pages são páginas em seu site que requerem do visitante uma ação específica. Ou melhor: uma landing page é como uma pergunta específica. Ela permite que você foque em uma chamada ao mesmo tempo que ajuda a guiar os visitantes que desejam saber mais sobre um assunto específico.

As pessoas chegam ao seu site de formas variadas, como mídias sociais, campanhas no Google Grants, ferramentas de busca como Google, Bing ou Yahoo, e-mails ou posts de blog. Por isso, pode parecer estranha esta afirmação: a página inicial do seu site não é o melhor lugar para enviar um novo visitante.

Mas não nos entenda mal. A home do site é ótima para dar uma ideia geral do que é sua instituição; o problema é que ela não oferece um caminho específico para que o visitante faça a ação que você deseja.

Para isso serve a landing page: cada landing tem um objetivo específico – levar o visitante a fazer uma doação ou se inscrever em sua lista de e-mails, por exemplo – sem que esse visitante perca o foco do objetivo traçado para ele.

Por que o site da sua organização deve ter landing pages

Seu site é uma poderosa porta de entrada para pessoas que estão em busca de algo relacionado a sua causa: seja voluntariado, doações, seja até mesmo alguém que precisa de sua ajuda.

Por exemplo, se uma pessoa usa no Google as palavras-chave “adoção de animais de rua” e cair diretamente em:

  1. uma página que fala um pouco sobre o trabalho de uma ONG que ajuda animais de rua a encontrarem lares permanentes e ao final indica um formulário de newsletter ou mesmo um formulário para submissão de proposta de adoção;
  2. na página inicial do site de uma ONG que ajuda animais abandonados com variadas informações.

É bem provável que a número 1 tenha mais sucesso de conversão do que a número 2, pois a primeira indica um caminho bem delineado para o visitante enquanto a segunda deixa o usuário “solto” no site, sem indicar um caminho correto a seguir.

Ao usar landing pages, você começa a capturar informações relevantes sobre essas pessoas, como e-mail, onde elas moram e o que mais for relevante para você saber delas. A esses contatos damos o nome de lead.

Com os leads você pode entrar em contato com essas pessoas interessadas e transformá-las em “conversões”, ou seja, a pessoa interessada em voluntariado se torna realmente voluntária; quem gostaria de doar de fato faz uma doação etc.

Por meio de landing pages, você pode multiplicar as conversões, o que pode significar, por exemplo, 10 vezes mais doações, 10 vezes mais voluntários, 10 vezes mais pessoas ajudadas, se for o caso; isso, claro, em comparação entre o uso dessas páginas com os sites que não as usam.

Landing pages ainda podem ser úteis para divulgação de eventos que você promove, como semana de doações, festas beneficentes, mutirões, feiras, ajudando sua instituição a divulgá-los e direcionando quem deseja ajudar de alguma forma.

O que não pode faltar em suas landing pages

Uma boa landing page apresenta algumas características básicas. Veja quais são elas e comece a aumentar as conversões de seu site:

Esqueça o menu de navegação superior. Isso mesmo: você deve pôr o foco do visitante em apenas uma opção, aquilo que você escolheu como meta a ser cumprida pelo visitante. Os únicos links presentes em sua página devem servir para concretizar a ação que você planejou para o visitante.

Tenha uma chamada para a ação. De nada adianta você atrair o visitante para sua página sem dizer a ele o que é preciso fazer a seguir. Nós já falamos um pouco sobre essas chamadas no post Os 4 conselhos do Facebook para transformar fãs em doadores.

Disponibilize um formulário para capturar os dados do visitante. O formulário é alma de uma landing page; o propósito de sua existência. É uma oportunidade de converter um visitante em um doador, voluntário etc.

Tenha um objetivo claro e definido para cada landing page. Você pode ter mais de uma página dessas em seu site e cada uma precisa ter seu objetivo específico. Esses objetivos também podem ser variados: inscrição em sua newsletter, inscrições de doadores recorrentes, inscrições de doações esporádicas etc.

Preste atenção no conteúdo da página. Todos sabemos que bons textos são o primeiro passo para convencer alguém a tomar uma atitude de acordo com o que precisamos. Por isso, ao escrever o conteúdo de sua landing page, pense em quais são as principais dúvidas das pessoas em relação à sua instituição: diga por que seu trabalho vale o esforço que ela está prestes a fazer, quais serão os efeitos desse esforço e seus próximos passos. E esse conteúdo não precisa ser só em texto – não se esqueça de que boas imagens também contam histórias e vídeos têm alto poder de engajamento também.

14 Dias para avaliar o mais moderno software do 3º Setor

x