A chave para a captação de recursos: 3 dicas práticas • bhbit | Soluções para o Terceiro Setor

A chave para a captação de recursos: 3 dicas práticas

Captação de Recursos

set 09
chave para a captação de recursos

Captação de recursos eficiente nos dias atuais

Os tempos mudaram…

Com a chegada do século XXI e o avanço da tecnologia, os mecanismos de ação das organizações do Terceiro Setor também precisam ser atualizados de acordo com as demandas da sociedade, para permanecer sendo eficiente e gerar resultados positivos.

white paper gestão financeira terceiro setor
INFORME

POR QUE O TERCEIRO SETOR PRECISA DE UMA SOLUÇÃO DE GESTÃO FINANCEIRA EXCLUSIVA

Download gratuito deste Informe.

Para conseguir ganhar a atenção de colaboradores em potencial, é muito importante que as instituições demonstrem ao público o seu trabalho diário e as consequências do mesmo na vida de milhares de pessoas.

Para isso, algumas técnicas essenciais são:

Ter histórias e relatos reais para compartilhar

Uma entidade que se limita apenas às estatísticas, a repassar aos doadores o número de projetos finalizados ou a quantidade de pessoas beneficiadas, não consegue realmente atingir sua audiência e demonstrar a imensidão do trabalho realizado pelas organizações sem fins lucrativos.

Por essa razão, é essencial que as estatísticas sejam acompanhadas por relatos reais, depoimentos de pessoas que tenham tido suas vidas mudadas devido ao esforço contínuo da instituição.

Contudo, tão importante quanto as histórias em si, é a forma como elas são contadas. Pois elas devem conseguir passar ao público emoção de uma maneira espontânea e não apelativa.

Para obter esse resultado, o primeiro passo é que a entidade esteja sempre aberta a ouvir relatos e encarar isso não como perda de tempo, e sim como uma parte fundamental do trabalho que vem sendo desenvolvido por ela.

A partir de então, a prática irá aos poucos ensinar a fazer as perguntas certas, a criar um clima confortável o bastante para que as pessoas consigam se expressar de forma natural e, consequentemente, a conseguir escrever histórias e depoimentos que emocionem e mobilizem os doadores e o público em geral.

Você já ouviu falar de Storytelling?

Nesse nosso artigo, será possível perceber quão importante é para as organizações do terceiro setor, saber contar suas histórias.

Listamos as melhores práticas do Storytelling de forma a permitir que suas histórias possam impulsionar seus projetos sociais. Confira clicando aqui.

Fazer bom uso da internet e das redes sociais

Nos últimos anos, o número de doações online tem crescido exponencialmente e, em pouco tempo, esse será o principal método para a captação de recursos. Desse modo, é essencial que as instituições do Terceiro Setor estejam presentes na internet e criem meios para receberem doações através dela.

Mas além da criação de um site sobre a entidade, que permita doações online e informe aos visitantes sobre o trabalho social realizado por ela, é igualmente importante que a instituição esteja presente em redes sociais como Facebook, Twitter e Instagram, pois são através desses sites que as entidades sem fins lucrativos podem alcançar um número ilimitado de pessoas e doadores em potencial.

Nesse momento, a técnica de saber relatar depoimentos e histórias reais de um jeito capaz de emocionar ao público é essencial para conseguir destaque para as redes sociais da instituição.

Mas antes de sair criando perfis em todas as redes sociais, seguindo a onda das novas tendências, é preciso se planejar.

Pois de nada andianta estar presente em uma rede social, sem ter desenvolvido conteúdos com características específicas dessa rede, ou seja a linguagem, o formato, tudo isso varia de uma rede social para outra.

Da mesma forma de que adiantaria criar perfis em redes sociais onde seu público alvo não está presente?

Portanto, assim como todas as demais atividades estratégicas, é preciso planejar.

Acesse o nosso guia com os 5 cuidados que o terceiro setor deve ter em mente ao desenvolver uma estratégia de mídias sociais.

Conhecer melhor os seus doadores

É muito comum que as organizações tracem um perfil generalizado de seus colaboradores, novamente baseando-se apenas nas estatísticas.

Apesar de ser útil em alguns aspectos, o ideal é que a entidade consiga realmente conhecer um pouco mais sobre os seus doadores, além do que é dito pelas estatísticas acerca da idade, gênero e camada social.

A interação através das redes sociais é uma das formas de identificar um pouco sobre os interesses e conhecer mais sobre as opiniões dos doadores, sobre o que esperam da instituição e o que acham que poderia ser melhor.

O segredo para que uma entidade consiga ter sucesso em sua captação de recursos é que ela valorize devidamente os seus doadores e seja capaz de enxergá-los como a audiência principal da entidade, a qual merece ser informada sobre o que está sendo feito e também consultada sobre as tomadas de decisões, quando for necessário.

Uma outra excelente abordagem é tentar se colocar no lugar do outro. E uma forma eficiente de se conseguir isso é através do marketing de empatia.

Através dele pode ser possível buscar as respostas cruciais para realmente entendermos:

  • o que motiva seus doadores
  • por que eles se engajam em sua causa
  • em que eles acreditam
  • o que faria aumentar a participação deles em suas ações

Para entender mais acesse: Você já ouviu falar em doação por empatia?

Portanto, através dessas três práticas: a priorização de relatos reais, utilização da internet em favor dos interesses da organização e da tentativa constante de se aproximar dos colaboradores, as entidades do Terceiro Setor podem conquistar resultados cada vez mais positivos e conseguir se adaptar plenamente as mudanças que o novo milênio trouxe às instituições sem fins lucrativos.

14 Dias para avaliar o mais moderno software do 3º Setor

x