Terceiro Setor • Página 2 de 3 • bhbit

Artigos da Categoria "Terceiro Setor"

out 19

Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil

| Terceiro Setor

Entenda o MROSC – Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil

Uma nova política está prestes a ampliar e aperfeiçoar as parcerias do governo brasileiro com as organizações da sociedade civil. Trata-se do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), lei que entrará em vigor em janeiro de 2016 e que já vem sendo amplamente discutida em todo o país.

Os Estados, Municípios e organizações precisam estar preparados para receber a nova legislação, que mudará a forma como as ações sociais, parcerias e prestações de contas serão realizadas no país. O Marco Regulatório foi construído a partir de um conjunto de demandas importantes e de uma agenda estratégica para o Brasil, a fim de aprimorar três quesitos básicos do trabalho das organizações da sociedade civil: a sustentabilidade financeira, a certificação junto ao Ministério da Justiça e a contratualização.

Diversas audiências, discussões e conferências foram realizadas pelo Governo Federal para disseminar informações sobre o novo Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil. A nova legislação reconhece a importância das organizações para o desenvolvimento do país e, por isso, estabelece mecanismos e normas que deixam claras todas as exigências que as entidades devem seguir para desempenhar um trabalho social de qualidade, com segurança institucional e com facilidades para a captação de recursos financeiros.

Leia mais

ago 25

O Terceiro Setor e o mundo digital

| Terceiro Setor

Porque as entidades precisam fazer parte do mundo digital

Nos últimos anos o alcance da internet cresceu de forma significativa, atingindo um número cada vez maior de brasileiros. Segundo uma pesquisa divulgada pelo Ibope Media, esse já é o terceiro maior meio de comunicação do país, ficando atrás apenas da televisão e do rádio. Em termos gerais, o Brasil está entre os países mais conectados do mundo e possui cerca de 105 milhões de internautas. Destes, estimam-se que 57 milhões acessam a internet regularmente e a utilizam como principal fonte de informações diárias.

Ainda de acordo com essa pesquisa, os sites mais populares entre os internautas brasileiros são as redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest. Cerca de 70% dos usuários da internet confiam nas opiniões expressas na rede sobre os mais variados temas como produtos, serviços, empresas e até mesmo instituições.

Além disso, as redes sociais são o ambiente ideal para se compartilhar informações, fotos, vídeos, manter conversas com o público e atingir um número cada vez maior de pessoas. Tudo isso de uma forma muito mais simples, ágil e interativa em comparação aos meios de comunicação tradicionais.

Leia mais

maio 25

Crise Financeira e Terceiro Setor: Como se preparar

| Terceiro Setor

Como as Organizações Sociais podem mitigar os efeitos da crise

O mundo está em transformação. A economia vem sofrendo grandes e constantes mudanças desde 2008 em todo o mundo, quando iniciou-se uma crise financeira mundial, mas, no Brasil, o cenário tem se apresentado ainda mais alarmante nos últimos anos.

As projeções para o futuro ainda não são positivas. Especialistas dizem que a crise vai piorar e o Banco Central prevê um PIB negativo para este ano, além de já percebermos uma inflação muito acima da meta.

Já vivenciamos um aumento do desemprego, do custo de vida e da pobreza no Brasil e essas mudanças fazem com que sejam necessárias diversas adequações em todos os setores, especialmente quando fazemos referência às entidades sem fins lucrativos, que cumprem um papel na sociedade que deveria ser feito, de forma direta ou indireta, pelo governo.

Mas como fazer para que o terceiro setor sobreviva a esta crise financeira e continue cumprindo seu papel, se também depende do financiamento de empresas que vivenciam agora este momento alarmante para a economia, o que faz com que a dedicação às ações sociais beneficentes ceda espaço para a preocupação com a sobrevivência financeira das próprias empresas?

Leia mais

fev 25

A tendência do voluntariado virtual

| Terceiro Setor

A tendência do voluntariado virtual

Quantas pessoas no mundo já não pensaram em se tornar voluntárias em uma causa nobre, mas esbarraram no problema falta de tempo? Muitas vezes, a rotina atribulada e cheia de compromissos impossibilita o engajamento dos cidadãos em programas voluntários que realmente têm o potencial para preencher e transformar pequenas ou grandes lacunas sociais.

Uma forma de enfrentar essa dificuldade e encontrar o tempo necessário para contribuir com a sociedade é o voluntariado virtual, que vem se tornando uma grande tendência no mundo inteiro. O trabalho online consiste em doar parte do tempo livre para uma entidade ou organização do terceiro setor por meio de sistemas remotos, ou seja, é possível ser um voluntário tendo apenas um computador conectado à internet como ferramenta, sem deslocamentos e a necessidade da presença física.

Essa forma de trabalho voluntário tem se espalhado pela web. Já existem diversos sites que reúnem pessoas interessadas em realizar um trabalho social de maneira inovadora e tecnológica.

De uma forma geral, o voluntário virtual faz exatamente a mesma coisa que qualquer outro voluntário: ele doa seus talentos e habilidades para ajudar a sustentar um programa, uma entidade, uma ideologia ou causa. A diferença é que, neste caso, a dedicação à organização social acontece sem que o voluntário precise sair de sua casa.

Leia mais

fev 10

O eSocial e seu impacto no Terceiro Setor

| Terceiro Setor

Entenda como o eSocial atinge as entidades do Terceiro Setor

O eSocial (Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas) ainda não é uma realidade para as organizações sociais, mas já ocupa espaço nas discussões do Terceiro Setor. Previsto para entrar em vigor em 2016 para as entidades sociais, esse novo sistema nacional, que vai unificar o envio de informações previdenciárias e trabalhistas para o governo, deve tornar a rotina da contabilidade um pouco mais complexa.

Na prática, isso significa que as entidades do terceiro setor que contratam mão de obra terão que vivenciar rotinas burocráticas, assim como qualquer outra empresa, e prestar contas como empregadores. O anúncio do novo Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas encontrou alguma resistência entre os profissionais de contabilidade, mas, no dia a dia, o sistema terá o simples objetivo de disponibilizar todas as informações sociais online de forma única e integrada.

De acordo com o Manual do Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, o envio de informações será obrigatório para as entidades do terceiro setor, e isso significa que os gestores das organizações não governamentais e instituições sociais já devem se preparar para utilizar o programa e enviar as informações exigidas.

Leia mais

jan 29

Uso estratégico da Tecnologia no Terceiro Setor-3

| Terceiro Setor

O futuro do Terceiro Setor é tecnológico

O título deste artigo é bastante sugestivo e verdadeiro: o futuro do terceiro setor, assim como o futuro do mundo corporativo, é, sem dúvida, tecnológico. Nunca as ferramentas tecnológicas estiveram tão inseridas em nosso dia a dia como acontece na atualidade. As pessoas estão conectadas, as informações são disseminadas com uma velocidade quase incompreensível e as novidades tecnológicas não param de chegar ao mercado.

Este cenário pode ser assustador para algumas Ongs (organizações não governamentais) e entidades sociais e filantrópicas que não estão focadas no planejamento estratégico para o uso de novas tecnologias. Mas também existem as instituições que já perceberam nesta realidade uma chance real de ampliarem sua atuação e conquistarem novas parcerias, novos doares, chances de financiamentos e aumento da produtividade.

O futuro é tecnológico, e cabe a cada um de nós fazer ou não parte dele. As alternativas para se inserir nesta sociedade da informação são muitas, e vão desde o investimento em melhores computadores, redes bem estruturadas, banco de dados, softwares de gestão, ferramentas de comunicação, websites, blogs, aplicativos para smartphones e etc… Os investimentos em TI devem ser planejados de acordo com as necessidades de cada entidade a fim de tornar suas atividades mais eficientes.

Leia mais

jan 22

Uso estratégico da Tecnologia no Terceiro Setor-2

| Terceiro Setor

Ferramentas tecnológicas de gestão para o Terceiro Setor

As entidades do terceiro setor que não atuam de forma profissional apresentam uma forte tendência ao fracasso, mesmo que suas ações sejam efetivamente relevantes para a sociedade e bem intencionadas. Muitas entidades não governamentais se perdem em sua essência filantrópica e começam a esbarrar em falhas de gestão, pois não são capazes de compreender que mesmo as entidades sociais atuam, por natureza, como empresas e precisam de ferramentas práticas para gestão empresarial.

Hoje, graças ao avanço das novas tecnologias e à democratização ao acesso à internet, as entidades do terceiro setor contam com recursos e ferramentas de TI que podem ser aplicadas no dia a dia para melhorar a performance e ampliar a atuação das organizações.

As instituições sem fins lucrativos precisam acompanhar o ritmo de modernização e atualização tecnológica dos dias atuais. Elas devem se posicionar de forma competitiva para garantirem sustentabilidade financeira e evitar crises.

Leia mais

jan 15

Uso estratégico da Tecnologia no Terceiro Setor-1

| Terceiro Setor

Como utilizar a Tecnologia de forma estratégica no Terceiro Setor

As entidades do terceiro setor enfrentam uma série de desafios para se manterem com uma performance eficiente e sustentável. Além de precisarem do apoio de forças políticas e econômicas para garantirem uma atuação qualificada, elas também esbarram, em muitos casos, em dificuldades de comunicação e gestão, ficando presas a procedimentos administrativos ultrapassados e limitados.

Uma forma de modernizar a gestão e tornar as entidades do terceiro setor mais conectadas à realidade da atual sociedade tecnológica é apostar no investimento e planejamento de uma área específica de TI e no marketing digital, com variados recursos tecnológicos.

A tecnologia da informação tem sido considerada estratégica para o desempenho de empresas de todos os segmentos de mercado e pode, muito bem, ser adaptada às necessidades de gestão do terceiro setor, com o uso de redes bem estruturadas de computadores e bancos de dados, softwares de gestão que agilizam e aumentam a produtividade das atividades cotidianas e com o uso de novas tecnologias que permitam alcançar a sociedade de forma mais efetiva e apresentar o desempenho do trabalho desenvolvido pelas entidades.

Leia mais