Blog Tecnologia e Terceiro Setor • bhbit | Soluções para o Terceiro Setor
nov 15

Senado aprova mudanças no Marco Regulatório

| Terceiro Setor

Senado aprova mudanças no Marco Regulatório e flexibiliza regras de contratos entre Ongs e Governo

Na última quarta-feira, 11, o Senado Federal votou e aprovou o projeto de lei de conversão que altera as regras para o fechamento de parcerias entre Organizações Não Governamentais e a Administração Pública. A medida provisória também adia para 2016 a entrada em vigor do Marco Regulatório.

Esse projeto, que agora segue para a sanção da presidente Dilma Rousseff, afeta diretamente as parcerias voluntárias entre qualquer organização da sociedade civil e os governos, além de flexibilizar as regras para o fechamento de contratos. A proposta de autoria do deputado Eduardo Barbosa, do PSDB de Minas Gerais, passou por uma comissão mista e foi reformulada.

A partir dessas novas alterações no Marco Regulatório, o tempo de existência exigido para as ONGs fecharem parcerias com a administração pública se torna mais flexível, o que deve facilitar a captação de verbas junto aos municípios, Estados e União.

Leia mais

nov 06

MROSC: Novos Termos de Parcerias entre Estado e OSCs

| Terceiro Setor

Novo marco regulatório do terceiro setor

Em meados de 2014 foi sancionada a Lei 13.019/2014, mais conhecida como Marco Regulatório do Terceiro Setor.

A atuação do Estado Brasileiro é dividida em duas grandes áreas: uma fiscaliza o cumprimento das leis, independentemente da esfera em que estejam previstas (direito constitucional, penal, civil…); a outra é responsável pela criação, manutenção e fiscalização de estruturas que oferecem serviços de interesse público. Nesta última área, o Estado conta com as Organizações da Sociedade Civil – OSCs -, pois, através da experiência e conhecimentos pontuais dos atores envolvidos, os serviços prestados têm um salto na qualidade. E o Marco Regulatório do Terceiro Setor surge exatamente para sistematizar a relação entre Estado e OSCs.

A Lei 13.019/2014 estabelece os termos jurídicos de parcerias voluntárias entre a Administração Pública e as Organizações da Sociedade Civil, independentemente da parceria tratar ou não da transferência de recursos financeiros.

Leia mais

out 21

O que são ONGs?

| Terceiro Setor

O papel das ONGs na sociedade

Antes de respondermos o que são ONGs, vamos falar um pouco sobre o papel que as mesmas exercem em nossa sociedade.

As ONGs (Organizações Não-Governamentais) exercem um papel de extrema relevância na sociedade, pois desempenham atividades que, em muitos casos, deveriam ser uma obrigação dos governos e gestores públicos das esferas municipal, estadual ou federal. Diversos tipos de ONGs se dedicam a desenvolver ações sociais, iniciativas de defesa dos direitos humanos e projetos capazes de elevar a qualidade de vida e resgatar a dignidade dos cidadãos.

São muitas as frentes de trabalho de uma ONG, e todas elas contribuem diretamente para o desenvolvimento do país e para o aprimoramento das condições de vida de muitas pessoas carentes de recursos financeiros e também de cultura, saúde, educação, oportunidades de emprego e capacitação, atividades esportivas e recreativas, entre outras iniciativas.

Quer saber tudo sobre ONGs?  Aproveite esse artigo que preparamos para você!

O que é ONG?

Apesar dessas organizações já existirem há um bom tempo, muitos ainda se perguntam o que são as ONGs?

As ONGs podem ser definidas como organizações sem fins lucrativos, que exercem atividades que auxiliam os governos, desempenhando um papel social importante ao oferecer projetos e serviços culturais, educativos, de saúde, qualidade de vida, capacitação e contribuição à sociedade. As organizações não-governamentais trabalham com objetivos bem definidos, todos regulamentados por estatutos, que devem ser registrados em Cartório.

Leia mais

out 20

O Terceiro Setor – Significado e sua história no Brasil

| Terceiro Setor

O que é Terceiro Setor

O que é terceiro setor? Terceiro Setor é um termo sociológico utilizado para definir organizações de iniciativa privada, sem fins lucrativos e que prestam serviços de caráter público.

No Brasil, assim como no restante do mundo, a sociedade é dividida em três setores:

O primeiro consiste nas instituições estatais comandadas pelo governo municipal, estadual e federal, que administram os bens e serviços públicos e representam portanto as ações do Estado.

O Segundo Setor, por sua vez, corresponde as empresas e ao capital privado, cujos recursos são empregados em benefício próprio, visando alcançar fins lucrativos.

Então afinal, qual é o Terceiro Setor?

Leia mais

out 19

Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil

| Terceiro Setor

Entenda o MROSC – Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil

Uma nova política está prestes a ampliar e aperfeiçoar as parcerias do governo brasileiro com as organizações da sociedade civil. Trata-se do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), lei que entrará em vigor em janeiro de 2016 e que já vem sendo amplamente discutida em todo o país.

Os Estados, Municípios e organizações precisam estar preparados para receber a nova legislação, que mudará a forma como as ações sociais, parcerias e prestações de contas serão realizadas no país. O Marco Regulatório foi construído a partir de um conjunto de demandas importantes e de uma agenda estratégica para o Brasil, a fim de aprimorar três quesitos básicos do trabalho das organizações da sociedade civil: a sustentabilidade financeira, a certificação junto ao Ministério da Justiça e a contratualização.

Diversas audiências, discussões e conferências foram realizadas pelo Governo Federal para disseminar informações sobre o novo Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil. A nova legislação reconhece a importância das organizações para o desenvolvimento do país e, por isso, estabelece mecanismos e normas que deixam claras todas as exigências que as entidades devem seguir para desempenhar um trabalho social de qualidade, com segurança institucional e com facilidades para a captação de recursos financeiros.

Leia mais

out 05

bhbit na Revista Filantropia

| Tecnologia

A Revista Filantropia (Edição 73) traz uma matéria sobre Captação de Recursos através de Dispositivos Mobile, que conta com a contribuição de nosso CEO e Fundador, Shidartha Rosa.

Nesta matéria, da redatora Paula Craveiro, podemos observar como a criação de aplicativos para dispositivos móveis e de sites responsivos, têm contribuído para a melhora da divulgação de informações das instituições e também como forma de atrair novos doadores para as entidades do Terceiro Setor.

Leia mais

set 23

Como transformar doadores ocasionais em recorrentes?

| Captação de Recursos

O que fazer para integrar pessoas caridosas de forma definitiva à sua entidade

Um dos maiores desafios das instituições do Terceiro Setor é o que diz respeito aos seus doadores ocasionais.

Buscando se distanciar da insegurança gerada pela ausência de um sólida fonte de renda recorrente, muitas organizações buscam fidelizar seus apoios de forma a obter doações de maneira recorrente.

Porém a transição para uma base de doadores recorrentes não representa tarefa fácil.

Entender a razão pela qual doadores ocasionais não se tornam doadores recorrentes e tentar encontrar uma forma de convencê-los a se comprometerem com a entidade é uma questão constantemente discutida dentro de qualquer organização sem fins lucrativos.

Algumas optam por tratá-los de forma semelhante aos doadores recorrentes, enviando os mesmos emails e convites para eventos promovidos pela instituição.

Outras entidades, por outro lado, preferem manter certa distância e enviar apenas mensagens em datas festivas como o Natal e a Páscoa. Contudo, em ambos os casos, as chances de se conseguir um retorno positivo são baixíssimas.

Isso acontece porque, ao contrário do que ocorre com os doadores recorrentes, a instituição não possui muitas informações sobre os seus doadores esporádicos.

Muitas vezes, nem ao menos informações básicas como a conta de email e o endereço desses doadores é conhecida pela entidade.

Portanto, a única certeza que podemos ter sobre esse grupo de pessoas é que elas são caridosas e estão dispostas a contribuírem financeiramente de tempos em tempos, então a questão principal é:

O que fazer para integrá-las definitivamente à instituição e convencê-las da importância que os doadores recorrentes representam?

Leia mais

set 09

A chave para a captação de recursos: 3 dicas práticas

| Captação de Recursos

Captação de recursos eficiente nos dias atuais

Os tempos mudaram…

Com a chegada do século XXI e o avanço da tecnologia, os mecanismos de ação das organizações do Terceiro Setor também precisam ser atualizados de acordo com as demandas da sociedade, para permanecer sendo eficiente e gerar resultados positivos.

Para conseguir ganhar a atenção de colaboradores em potencial, é muito importante que as instituições demonstrem ao público o seu trabalho diário e as consequências do mesmo na vida de milhares de pessoas.

Para isso, algumas técnicas essenciais são:

Ter histórias e relatos reais para compartilhar

Uma entidade que se limita apenas às estatísticas, a repassar aos doadores o número de projetos finalizados ou a quantidade de pessoas beneficiadas, não consegue realmente atingir sua audiência e demonstrar a imensidão do trabalho realizado pelas organizações sem fins lucrativos.

Por essa razão, é essencial que as estatísticas sejam acompanhadas por relatos reais, depoimentos de pessoas que tenham tido suas vidas mudadas devido ao esforço contínuo da instituição.

Leia mais

ago 25

O Terceiro Setor e o mundo digital

| Terceiro Setor

Porque as entidades precisam fazer parte do mundo digital

Nos últimos anos o alcance da internet cresceu de forma significativa, atingindo um número cada vez maior de brasileiros. Segundo uma pesquisa divulgada pelo Ibope Media, esse já é o terceiro maior meio de comunicação do país, ficando atrás apenas da televisão e do rádio. Em termos gerais, o Brasil está entre os países mais conectados do mundo e possui cerca de 105 milhões de internautas. Destes, estimam-se que 57 milhões acessam a internet regularmente e a utilizam como principal fonte de informações diárias.

Ainda de acordo com essa pesquisa, os sites mais populares entre os internautas brasileiros são as redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest. Cerca de 70% dos usuários da internet confiam nas opiniões expressas na rede sobre os mais variados temas como produtos, serviços, empresas e até mesmo instituições.

Além disso, as redes sociais são o ambiente ideal para se compartilhar informações, fotos, vídeos, manter conversas com o público e atingir um número cada vez maior de pessoas. Tudo isso de uma forma muito mais simples, ágil e interativa em comparação aos meios de comunicação tradicionais.

Leia mais

ago 18

Sem ideias para o Blog de sua ONG?

| Marketing

Confira estas 8 dicas de conteúdo para blogs do Terceiro Setor

Os blogs têm conquistado cada vez mais espaço entre as ferramentas que fazem parte do escopo de marketing digital das entidades do terceiro setor. Porém, mais importante do que colocar um blog no ar, é saber orientar o conteúdo publicado a fim de que a página possa ganhar relevância e se tornar uma referência para o setor.

Para ter sucesso com uma estratégia de comunicação com blog, as entidades precisam gerar conteúdo relevante e de alta qualidade, que possa atrair tráfego e ter repercussão nas mídias sociais. Para que as organizações sociais possam se familiarizar com as características que são importantes para os posts de blogs, separamos aqui algumas dicas de conteúdo para o Terceiro Setor. Confira!

Leia mais

14 Dias para avaliar o mais moderno software do 3º Setor

x